sábado, 10 de abril de 2010

VIDA

Vida fútil,
Inútil,
sem sol.

Vida bela,
aquela que segue
ao sentimento
e não à dor.

Vida ribeira,
mansa
e certeira
que segue o Rio devagar.

Vida altiva,
na busca da Luz,
do Sol.

Vida humana,
temes o fim
e esqueces
que em ti encontra-se o atalho,
o gérmen, o ínicio,
o pulsar, o sopro
da outra vida,
que um dia viverás.

7 comentários:

Giselle disse...

[b]O seu poema tem muito sentido. É lindo e real pois sem luz e sem otimismo de nada vale a existencia humana.

Giselle disse...

Tbm escrevo poemas e lancei 3 livros com poucos volumes para a minha comunidade.
Tenho 1 blog onde trato de assuntos diversos mas ñ sei como divulga-lo vc poderia me ajudar?
o nome do blogg é: Psicologia/Filosofia? Arte Literaria e Outras

Gigi disse...

A vida é assim mesmo...cheia de encantos e desencantos...

F. Otavio M. Silva disse...

Adorei o Post, Parabens; Vou vir mais vezes por aqui.
Dá um passada no meu blog quando puder.
http://otaviomsilva.blogspot.com/
¬¬°ºoO
Forte Abraço

F. Otavio M. Silva disse...

Adorei o Post, Parabens; Vou vir mais vezes por aqui.
Dá um passada no meu blog quando puder.
http://otaviomsilva.blogspot.com/
¬¬°ºoO
Forte Abraço

Cleilton F. Vieira disse...

Lindos versos, adorei!

Mundo das Poesias disse...

Olá,

Gostei do seu Blog e gostaria de fazer parceria com meu blog Mundo das Poesias:

http://www.tol3.net/m

Já adicionei seu Link e gostaria de pedir que também adicionasse nosso banner ou nosso link em seu blog.

Grande Abraço;
Sucesso!