sábado, 8 de novembro de 2008

REFLEXÕES

Ao olhar o Sol,
vi o esplendor dos seus raios
a rodear a manhã que com ele se levantava.
Ouvi os sons
que com ele acorda
ao observar o vulto do seu clarão.
Estasiei-me
ao sentir ao meu redor
toda a Natureza a conspirar
para que especial esse dia fosse.
Os pássaros se comunicavam
a entoar belas canções.
A brisa em meu rosto soprava
sua suavidade primaveril.
O Mar com águas tranqüilas
espelhava-me e refletia a Luz Solar.
O dia ganhava horas e se movia.
Aos poucos,
o movimento crescia,
fazia o dia ebulir,
ganhar mais horas.
Amadurecer.
Os seus sons
a se modificarem.
No céu,
diamantes a brilharem.
Hora do dia adormecer.
Dar lugar à Noite
com seus sons
e seres específicos
para que amanhã repita o ritual
de acordar a vida, o belo, a existência.

Publicado no Recanto das Letras em 08/11/2008
Código do texto: T1272379

2 comentários:

Claire disse...

adorei!!!

http://ventaniamaritima.blogspot.com/

Alexya Marcelle disse...

"O dia ganhava horas e se movia."
Remete-me a uma imagem abstrata de relativa paz, como se a suavidade dominasse cada linha e verso deste belíssimo poema.